Programa “Corujão da Saúde” completa um mês de operação

Neste último domingo (01/04), o programa Corujão da Saúde completou um mês de operação no Rio de Janeiro. O programa consiste na criação de um terceiro turno para a realização de cirurgias eletivas nos hospitais da rede municipal. Os procedimentos são realizados sempre de segunda a sexta, no turno da noite, e em algumas unidades também aos fins de semana.

De acordo com o balanço divulgado nesta terça-feira (3/4), foram realizadas 1.042 cirurgias em março, além das mais de 700 feitas de rotina. O resultado superou a meta do primeiro mês do projeto, que era de 1.020 procedimentos.

“Nossos médicos da rede municipal estão de parabéns. Eles, tantas vezes criticados e injustiçados. Merecem parabéns também os enfermeiros e o pessoal da limpeza, da segurança e o que faz a comida. Estão todos os médicos trabalhando voluntariamente, operando em suas horas de lazer, à noite, nos fins de semana. Por isso conseguimos superar a meta, que era ousada. E vamos continuar nessa marcha”, disse o prefeito Marcelo Crivella, ao lado do secretário municipal da Saúde, Marco Antônio de Mattos, no Hospital da Piedade, na Zona Norte da cidade.

O prefeito anunciou que o Corujão vai crescer ainda mais. Serão acrescentados ao programa novos procedimentos cirúrgicos – atualmente são feitas cirurgias de hérnias, vasectomia, fimose e oftalmológicas: pterígio e calázio.

“Vamos fazer novo mutirão para acabar com feridas nas pernas. As pessoas têm varizes que estouram, e aquilo vira ferida. Existe um processo já para que a gente possa acabar com isso. A gente também tem muito carioca que está colostomizado. Está na hora de tirar essa bolsinha e ter uma vida normal. Isso será um novo mutirão, e vamos zerar a fila para esses procedimentos”, disse Crivella.

Quando saía do Hospital da Piedade, Crivella foi cumprimentado pelo taxista Aldemir Rabello, de 70 anos, que passou por cirurgia de catarata no dia anterior.

“Quero agradecer pelo atendimento que recebi aqui no Hospital da Piedade e por estar enxergando de novo”, disse Aldemir ao prefeito, que aproveitou para lembrar de outra iniciativa importante na Saúde: o mutirão de catarata que vai operar 15 mil pessoas e zerar a fila de quem espera por uma chance de voltar a enxergar bem.

“São R$ 15 milhões que estão sendo empregados num programa excepcional para que nenhum idoso do Rio fique cego por causa de catarata. Aliás, todos que estão inscritos no SISREG (Sistema de Regulação) até 18 de março precisam ir à clínica da família ou ao hospital para atualizar o cadastro e ser chamado logo. São 15 mil pessoas que ficarão livres da catarata, como o seu Aldemir”, destacou Crivella.

 

Mais sobre o Corujão Carioca

O Hospital da Piedade foi um dos dois que mais operaram no terceiro turno em março, com 195 cirurgias realizadas no Corujão, além da rotina cirúrgica. O outro é o Miguel Couto, no Leblon, Zona Sul. Neste, as operações de hérnia e as oftalmológicas foram as mais realizadas. Já o Hospital Francisco da Silva Telles fez 160 (todas de vasectomia).

Dos hospitais pediátricos que participam do Corujão Carioca, o Nossa Senhora do Loreto, na Ilha do Governador, operou 121 crianças, a maioria com fimose. E o Hospital Jesus, em Vila Isabel, fez 127 procedimentos, de fimose e hérnia.

Também participam do Corujão Carioca os hospitais municipais Salgado Filho, Souza Aguiar e Lourenço Jorge. Além da programação do terceiro turno e fins de semana, as cirurgias eletivas – que não são de emergência – continuam sendo feitas nas rotinas cirúrgicas dos hospitais, de segunda a sexta-feira, pela manhã e à tarde.

O objetivo dessa primeira etapa do Corujão Carioca é diminuir o tempo de espera na fila por cirurgias eletivas e, assim, abrir vaga para pacientes que aguardam encaminhamento pelo SISREG. A Secretaria Municipal de Saúde prevê acrescentar outros procedimentos no terceiro turno, como de varizes, vesículas e ginecológicos.

Quais cirurgias são feitas no Corujão?
Durante a primeira etapa do programa, o objetivo foi diminuir o tempo de espera na fila por procedimentos de pterígio e calázio, hérnia inguinal, umbilical e epigástrica, vasectomia e fimose.

Onde as cirurgias são feitas?
Os procedimentos são realizados nos centros cirúrgicos dos hospitais municipais Miguel Couto, Salgado Filho, Souza Aguiar, Lourenço Jorge, Francisco da Silva Telles e da Piedade, além dos dois pediátricos: Jesus e Nossa Senhora do Loreto.

Como é organizada a ordem das cirurgias?
Os procedimentos são realizados via Sistema de Regulação Municipal (Sisreg), solicitados pela equipe de saúde na unidade de referência do usuário. Tão logo haja vaga disponível, a equipe entra em contato com o usuário para avisar da data agendada e local. Para encontrar sua unidade de referência, é só digitar seu endereço na ferramenta Onde ser atendido.

 

Compartilhe
  • Tweet This!
  • Share on Facebook
  • Digg it!
  • Add to Delicious!
  • Stumble it
  • Subscribe by RSS
Posts Relacionados
Gostou deste artigo? Torne-se Fã do Portal no Facebook!

Nenhum comentário Quero comentar!

No comments yet.

Leave a comment


www.prb10rj.com.br Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados. Desenvolvido pela ASCOM - RJ.