Eduardo Lopes cobra planejamento e efetividade na Intervenção Federal no Rio
Destaques, Eduardo Lopes, Palavra do Presidente | abril 19, 2018 em 1:22 PM
A- A+

 

O senador Eduardo Lopes subiu à tribuna do Senado Federal nesta quarta-feira (18), para falar sobre a Intervenção Federal no estado do Rio de Janeiro e as dificuldades de sua operacionalização.

Para o parlamentar e relator do projeto de decreto legislativo que autorizou a Intervenção na área de Segurança Pública no estado, Eduardo Lopes hoje aponta vários obstáculos para uma implementação efetiva de atividades de combate à criminalidade.

De acordo com o parlamentar, o general Braga Netto, e o secretário de segurança, o general Richard Nunes enfatizaram a necessidade de R$ 1,5 bilhão para a Intervenção funcionar durante o período planejado. E que, até recentemente, esses valores ainda não haviam sido repassados. Eduardo Lopes disse que os atrasos nos repasses são atribuídos ao excesso da burocracia e à Casa Civil da Presidência da República. “Essa demora é injustificada e inexplicável. Essa demora, apenas para se ter uma ideia, ocasionou o atraso, o adiamento de 63 operações dentro do plano de intervenção” pontuou Lopes.

Eduardo Lopes salientou que não faz sentido que regras e formalismos excessivos venham a atrapalhar essa, que é uma medida essencial para a recuperação do Rio de Janeiro. “Se a Intervenção é uma condição de excepcionalização, então ela tem que ser tratada de forma excepcionalizada também. Não pode a burocracia atrapalhar e fazer com que as ações e operações da Intervenção sofram esse dano”, enfatizou.

Segundo Lopes, são vários os relatos de que a aplicação do dinheiro ainda carece de planejamento mais adequado, com informações desencontradas e poucos detalhes sobre como as verbas serão empregadas. “A meu ver, são atitudes que, se não evidenciam amadorismo na gestão de recursos, demonstram descaso para com os moradores do Rio de Janeiro”, disse Eduardo Lopes.

No primeiro mês da intervenção, roubos de carros, de cargas e a pedestres atingem os piores patamares da história, disse o senador ao se referir a uma matéria publicada no jornal O Globo. Segundo levantamento, foi registrado, um aumento de 7,1% nos roubos de veículos, resultando na pior marca desde 1991 para o mês de março. “A cada oito minutos, um veículo é roubado no estado do Rio de Janeiro. Em março de 2018, houve 172 roubos de veículos por dia”, disse.

Lopes alertou ainda sobre outras estatísticas que atingiram o patamar mais alto desde que os números da violência no estado passaram a ser computados. Houve recordes negativos em crimes como roubos de carga, a pedestres, em ônibus e também de celulares. “Se todos têm conhecimento que em uma faixa de 5km da Avenida Brasil é onde mais acontece o roubo de carga, por exemplo, você deve reforçar o policiamento naqueles 5km. Não precisa de muita inteligência nem de muito serviço de inteligência. Para mim seria, realmente, a presença ostensiva naquela região, naquela área”, destacou o senador do Rio de Janeiro.

Para o senador é possível criar a negociação para que os fundos recuperados pela Operação Lava Jato, no Rio de Janeiro, sejam direcionados à intervenção. Segundo ele, não há nada mais justo do que utilizar o dinheiro roubado para o combate à criminalidade e para proteger as famílias dos indivíduos que efetivamente cumprem suas obrigações como cidadãos.

Ascom Bsb – Senador Eduardo Lopes

Compartilhe
  • Tweet This!
  • Share on Facebook
  • Digg it!
  • Add to Delicious!
  • Stumble it
  • Subscribe by RSS
Posts Relacionados
Gostou deste artigo? Torne-se Fã do Portal no Facebook!

Nenhum comentário Quero comentar!

No comments yet.

Leave a comment


www.prb10rj.com.br Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados. Desenvolvido pela ASCOM - RJ.