1º Seminário Nacional de Empoderamento das Mulheres Negras
PRB Igualdade Racial | junho 21, 2013 em 12:37 AM
A- A+

Brasília – A ausência da mulher negra nas estruturas de poder da sociedade brasileira foi uma das críticas feitas nesta sexta-feira (14) pela diretora do Instituto da Mulher Negra de São Paulo – Géledes, Sueli Carneiro, durante a abertura do 1º Seminário Nacional de Empoderamento das Mulheres Negras, realizado em Brasília.

De acordo com Sueli Carneiro, a situação das mulheres negras nas políticas públicas desafia a democratização racial no país. “As mulheres negras estão ausentes de todas as estruturas de poder da sociedade. Elas são absolutamente minoritárias em espaço de decisões. É uma condição de subordinação e de subalternação social que precisa ter as causas e as razões discutidas”, disse.

Entre os espaços sociais em que as negras são expostas ao preconceito, Sueli afirmou que o mercado de trabalho é o que gera a maior exclusão em decorrência dos padrões estéticos exigidos.

“A discriminação no mercado de trabalho gera a exclusão de oportunidades para as mulheres negras. Existe uma ideologia poderosa operando no mercado de trabalho, que procura pelo fator estético hegemônico e que autoritariamente exclui as pessoas que não estão dentro do padrão seguido pelos grupos dominantes do país”, afirmou.

O seminário vai reunir, até sábado (15), as mulheres negras vinculadas a partidos políticos e militantes das várias articulações nacionais do movimento social para a discussão de diversos temas, tais como: comunicação e políticas de promoção de igualdade racial, organização partidária e mecanismos de empoderamento.

Os ministros das secretarias especiais de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Edson Santos, e de Políticas para Mulheres, Nilcéa Freire também estiveram na cerimônia de abertura do seminário.

Agência Brasil

Compartilhe
  • Tweet This!
  • Share on Facebook
  • Digg it!
  • Add to Delicious!
  • Stumble it
  • Subscribe by RSS
Posts Relacionados
Gostou deste artigo? Torne-se Fã do Portal no Facebook!

2 Comments Quero comentar!

  • Elas no Brasil são maioria, será que é justo tão pouca representatividade? Eu acho que sei a resposta de todos; mas nada de concreto foi efetuado de fato visando esta mudança vergonhosa para o Brasil; sendo sua grande maioria negros e negras, quando de fato acontecer algo que realmente possamos falar os negros ou as negras foram reconhecidos igualmente como cidadão brasileiro; que dia glorioso seria esse. De modo algum podemos nos colocarmos como coitadinhos porém a desigualdade no país está ainda gritante, por essa realidade existente que, representatividades das mulheres negras tende fazer parte dos poderes para plantarmos a semente de uma sociedade mais igualitária no futuro.

    Comentário by Rodrigo da Graça dos Santos — 14 de junho de 2015 @ 5:56 PM

  • É extremamente importante que essas informações possam chegar a toda a população negra, de maneira que entendam que a única forma de reduzirmos e quem sabe num futuro próximo consigamos eliminar esse tipo de comportamento entre os seres humanos.
    Somos seres humanos, dotados de potencialidades que se desenvolvidas adequadamente, teriamos uma qualidade de vida muito melhor no sentido de um individuo perceber que não é superior ao outro.
    O dia que os negros se unirem de fato e juntos marcharmos para um novo tempo, um tempo de igualdades sociais, culturais, profissionais e educacionais, certamente teremos e usufruiremos de tudo aquilo que tiraram de nós.
    Pela igualdade, mas com paz e sabedoria.

    Comentário by MARCOS AURELIO DO NASCIMENTO SANTOS — 11 de dezembro de 2017 @ 12:03 PM

Leave a comment


www.prb10rj.com.br Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados. Desenvolvido pela ASCOM - RJ.